Encontro Nacional de 2007

P l a n o   d e    A t i v i d a d e s
► 09/08/2007

Mesa-redonda ……………   9:00 – 12:00

Tema: Processos bottom-up e top-down

1. Palestrante: Letícia M. Sicuro Corrêa,  PUC-Rio/LAPAL     slides

Direcionalidade do processamento lingüístico e o  bootstrapping da sintaxe na aquisição da língua materna

A proposta de um modelo misto da computação on-line, no qual a natureza lexical ou funcional das categorias  do léxico, em interação com sistemas conceptuais e intencionais, é vista como determinante da direcionalidade do processamento sintático (Corrêa, 2005; Corrêa & Augusto, 2006; a sair; Corrêa, a sair) é recuperada.  Dados obtidos na pesquisa psicolingüística em torno do problema do bootstrapping da aquisição  da linguagem (Pylyshyn, 1977; Pinker, 1984) são  analisados à luz desse modelo. Argumenta-se que esse modelo misto, ao ser tomado como referência  no estudo da aquisição da linguagem, facilita  explicar a aparente discrepância entre dados  da percepção/compreensão da língua, por  parte de crianças de idade inferior a dois anos, e dados da produção inicial da fala.

 

2. Palestrante:  Maximiliano Guimarães(Universidade Federal do Paraná)slides

Considerações sobre Eficiência Computacional e Realidade Psicológica de Diferentes Propostas de Direcionalidade de Derivações Sintáticas.

Um dos ‘dilemas eternos’ em teoria sintática é se a modelagem mais adequada das regularidades estruturais envolve (a) princípios declarativos de boa formação sobre representações, (b) algoritmos derivacionais de construção de estrutura passo-a-passo, ou (c) ambos os mecanismos em complementaridade. Há ainda os que suspeitam ou defendem que mecanismos representacionais e derivacionais são variantes notacionais de algo único e mais profundo (Cornell 1999). Para que esta questão maior tenha qualquer chance remota de poder ser respondida, é preciso considerar de perto os detalhes de cada uma das abordagens derivacionais e representacionais específicas no que concerne à ‘realidade psicológica’. Recentemente, têm ganhado espaço nesse debate variantes de modelos derivacionais em que a construção de  estrutura sintagmática ocorre incrementalmente de forma  left-to-right/top-to-bottom, de tal modo que o ‘tempo computacional’ no plano da competência coincide com  o ‘tempo real’ do processamento (produção e compreensão)  no plano da performance (Phillips 1996, 2003; Guimarães 2001, 2003, 2004; Drury 1998, 1999, 2005). Modelos híbridos (simultaneamente top-to-bottom e bottom-up) também têm sido considerados no plano da competência (Castillo & Uriagereka 2000; Corrêa & Augusto 2006), bem como modelos em que são concebidas  operações ‘bottom-up’ no plano da performance (França, Lemle, Cagy, Constant & Infantosi 2004). Neste trabalho, trato da ontologia dos mecanismos  ‘top-down’, ‘bottom-up’e ‘top-to-bottom’ em seus detalhes formais (em especial, a localidade e a monotonicidade das relações), e discuto até que ponto todas essas alternativas são comensuráveis, até que ponto elas podem coexistir num mesmo sistema, e até que ponto as evidências de que dispomos realmente ‘desempatam o jogo’ corroborando esta ou aquela proposta.  Ao final, defendo um modelo plenamente left-to-right/top-to-bottom de competência em que a ordem linear  dos terminais é que alimenta a computação sintática.

 

3. Palestrante:  Marcus Maia (Universidade Federal do Rio de Janeiro) slides

Evidências de rastreamento ocular e leituraauto-monitorada para a direcionalidade do processamento morfológico e sintático

Um dos debates mais importantes da Lingüística nas últimas décadas diz respeito à aracterização da faculdade da linguagem em relação a  outros sistemas cognitivos e  à caracterização das relações entre os subcomponentes do conhecimento lingüístico, a saber, a sintaxe, a semântica, a pragmática e o componente fonético/fonológico. Em Psicolingüística, entre as questões de interface que têm sido investigadas, destacam-se os estudos de natureza experimental sobre os aspectos particulares e universais da representação e do acesso, focalizando a integração entre os conhecimentos semântico-pragmáticos, de um lado e a atividade estrutural do parser, do outro, bem como a relação entre a informação prosódica e a construção da estrutura sintática pelo parser. A questão, em última análise, envolve o design ou arquitetura da faculdade humana da linguagem, incluindo não só procedimentos computacionais bottom-up, mas também os chamados processos top-down, geralmente concebidos como não modulares, de nível mais alto. A contribuição experimental para o debate teórico é a possibilidade de  estabelecimento do curso cronológico em que esses diferentes fatores atuam no processamento de frases.  Revisaremos resultados de experimentos de rastreamento ocular na leitura de palavras isoladas (Maia, a sair) e de leitura auto-monitorada de frases contendo sintagmas preposicionais e oracões relativas com ambiguidades de aposição (Maia et alii 2003; Maia et alii 2007), bem como resultados de experimento de priming (Maia, 1998) em frases contendo elementos co-referenciais, procurando discriminar o curso temporal do acesso a informações de natureza semântica, pragmática e prosódica na compreensão dessas frases por sujeitos adultos. Tomados em conjunto, esses resultados permitem argumentar em favor de um sistema dual de processamento sintático e morfológico em que procedimentos computacionais são afetados on-line por alguns tipos de informações provenientes das interfaces acústico-perceptual e conceptual-intencional.

► Palestra ……..   17:00

RELAÇÕES ENTRE A PSICOLINGÜÍSTICA E A NEUROLINGÜÍSTICA – slides

Leonor Scliar-Cabral
(Professor Emeritus – UFSC)

 

► 10/08/2007Comunicações Individuais ….9:00 – 12:00

Comunicações de 20 minutos + 10 minutos para perguntas e discussão

9:00 / 9:30 Erica dos Santos Rodrigues    slides
LAPAL/PUC-Rio
A interferência de fatores semânticos no processamento da concordância sujeito-verbo na produção de sentenças
9:30 / 10:00 Mercedes Mercedes Marcilese
LAPAL/PUC-Rio                     slides
Processamento da co-referência pronominal anafórica na  aquisição de Português Brasileiro e  de Espanhol  Rio-Platense
10:00 / 10:30 Waniston Coelho Celeri        slides
UFRJ
Composicionalidade aspectual: Quantificação leva à delimitação?
10:30 / Reunião administrativa  do GT de Psicolingüística da ANPOLL